• Luciano Arruda

Explicando a Vigorexia

Olá, tudo bem?


É bem possível que você já tenha ouvido falar da anorexia, porém o termo vigorexia seja totalmente novo.


Não se preocupe, estou aqui para explicar.


A Vigorexia pode ser classificada como a obsessão pelo exercício físico e o corpo “perfeito”, tem uma prevalência em frequentadores assíduos de academias e clubes esportivos.


Em primeiro lugar eu queria falar da importância do exercício físico na saúde mental das pessoas, simplesmente ele é essencial, o exercício libera diversas substâncias que favorecem o bem-estar mental, além de ser também essencial para uma boa saúde física e aumento da imunidade, longevidade e autoestima.


Portanto ao explicar sobre a Vigorexia queria deixar bem claro que o exercício é a melhor coisa que você pode fazer para si mesmo, o problema está no exagero.


Infelizmente tudo o que é bom na vida pode viciar, isso não é diferente para o exercício físico, a sensação de bem-estar causada pela prática, ativa todo o sistema de recompensas do cérebro, fazendo o indivíduo buscar novamente essa sensação repetidas vezes.


O exercício físico reduz a gordura corporal, tonifica a musculação e por consequência cria um corpo mais atraente em nossa sociedade, é evidente que não existe um padrão para isso, mas sejamos sinceros, olhe para a TV e as capas das revistas, repletas de corpos tonificados, sejam eles masculinos ou femininos.


Essa transformação corporal descrita no parágrafo anterior também gera um incremento da autoestima, e mais uma vez ativa o mecanismo de recompensas cerebral. O problema começa quando tal comportamento se torna compulsivo, esse é o início da Vigorexia.


A Vigorexia começa quando o sujeito não consegue ficar sem treinar, passa muitas horas do dia cuidando do corpo deixando compromissos importantes de lado, muitas vezes comprometendo seus relacionamentos e até mesmo o trabalho.


Apesar de ser extremamente benéfico ao organismo e a mente, o exercício físico em excesso causa muitos prejuízos também, lesões, perdas financeiras pois o indivíduo começa a fazer uso muitas vezes de suplementos em excesso em busca do corpo perfeito e até mesmo anabolizantes sem orientação profissional. Causa severa angústia, pois o padrão torna-se surreal, e por jamais é atingido.


Assim como em muitos distúrbios comportamentais um dos grandes problemas é a negação por parte do paciente, muitas vezes o problema é percebido por todos a sua volta, como amigos, familiares, colegas de trabalho e até profissionais das academias e colegas de treino, no entanto, é negado pela pessoa que sofre em silêncio muitas vezes em busca de um objetivo impossível.


É comum que a Vigorexia esteja atrelada a problemas de autoestima ou mesmo impotência perante ao chamado “marketing da felicidade”, muito presente nas redes sociais por exemplo, onde é pregado que só há alegria se você ostentar um certo padrão de corpo.


O tratamento da Vigorexia deve ser feito em conjunto, há o trabalho de um educador físico capacitado que irá entender e auxiliar o paciente da melhor forma possível, deixando claro quanto aos limites do corpo em relação ao exercício, além do psicólogo e muitas vezes o psiquiatra que pode diagnosticar algum distúrbio conjunto como ansiedade generalizada ou mesmo depressão.


Ao psicólogo cabe investigar as razões que levaram o indivíduo ao exagero no exercício e junto com ele trabalhar estratégias de mudanças de hábitos, e possíveis melhoras na autoestima combatendo uma visão distorcida de si mesmo, muito presente nesse distúrbio.


O exercício físico é fundamental para a saúde do corpo e da mente, o exagero porém é uma doença e precisa ser tratada!


Escrito por Luciano Arruda, psicólogo e fundador do Fluidez Mental, seu contato é: luciano@fluidezmental.com.br.













10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo