top of page

A Psico na Cultura - Documentário Estamira

"Estamira" é um documentário brasileiro lançado em 2004, dirigido por

Marcos Prado, que apresenta a vida de uma mulher de mesmo nome, Estamira

Gomes de Sousa. Esta resenha crítica psicológica analisará a personagem

principal, Estamira, destacando seus aspectos emocionais, comportamentais e

psicológicos apresentados no filme.


Estamira é retratada como uma mulher de idade avançada, vivendo em

condições precárias em um aterro sanitário na região metropolitana do Rio de

Janeiro. Desde o início do documentário, fica evidente que ela sofre de transtornos

mentais, provavelmente esquizofrenia, e que sua realidade é profundamente

afetada por essas condições psicológicas. As cenas do filme nos mostram uma

mente inquieta, fragmentada e alheia à realidade imediata.


Um dos aspectos mais notáveis do comportamento de Estamira é a sua

linguagem peculiar e aparentemente caótica, na qual ela mistura conceitos

religiosos, filosóficos, ambientais e pessoais. Suas falas são ricas em simbolismos e

metáforas, o que pode refletir uma tentativa de expressar suas angústias internas e

a dificuldade em organizar seus pensamentos de forma compreensível para os

outros. Essa forma de comunicação torna-se uma barreira para o estabelecimento

de relações sociais significativas, reforçando sua condição de marginalização.


Além disso, Estamira demonstra traços de pensamento desorganizado, como

ideias delirantes e alucinações visuais, que são apresentadas no documentário.

Esses sintomas sugerem uma desconexão da realidade e uma vivência interna que

difere substancialmente da experiência compartilhada pela maioria das pessoas.

Isso provavelmente contribui para sua condição de isolamento social e agravamento

de sua situação de vulnerabilidade.


Outro aspecto relevante é a sua resistência em aceitar ajuda psiquiátrica ou

medicamentosa. Apesar de algumas tentativas, ela se recusa a seguir tratamentos

convencionais e tende a desconfiar dos profissionais de saúde mental. Esse

comportamento pode ser interpretado como uma desconfiança generalizada,

característica de algumas formas de esquizofrenia, ou como uma estratégia de

proteção contra a possibilidade de ser controlada por terceiros.

O documentário também mostra fragmentos do passado de Estamira,

revelando um histórico de traumas e adversidades, incluindo um relacionamento

abusivo e a perda de seus filhos. Esses eventos podem ter contribuído para o

desenvolvimento de sua condição psicológica atual, exacerbando suas

vulnerabilidades emocionais.


Em suma, "Estamira" é uma obra que nos permite uma visão íntima e complexa de

uma mulher com transtornos mentais em meio a uma realidade social adversa. A

personagem principal, Estamira, é retratada como uma figura trágica e ao mesmo

tempo profundamente humana. Seu perfil psicológico é marcado por uma mente

fragmentada, lutas internas e uma comunicação incomum, o que cria uma barreira

para sua compreensão e aceitação pela sociedade. O documentário convida a

reflexões sobre as condições de vulnerabilidade e a necessidade de compaixão e

cuidado com pessoas que enfrentam distúrbios mentais e que são marginalizadas

pela sociedade.


Sobre o Autor:


Ian Leonardo de Oliveira. Sou Psicólogo com experiência de mais de cinco anos na área,


realizando atendimento clínico para adolescentes, adultos e idosos na Clínica Equilibryum, além de consultas hospitalares no Hospital Santa Paula, para pacientes com câncer. Tem expertise no trabalho com equipe multiprofissional pela Unidade de Referência à saúde de pessoas idosas.




É especialista em Psicologia Organizacional e do trabalho pela Unibf, com competências


generalistas para atuação nas áreas de saúde, educação e organizacional.


Graduado em Psicologia pela Universidade Anhembi Morumbi, Pós-Graduado em Psicologia Hospitalar pela UniSão Paulo e atualmente cursa Pedagogia pela Unesp, com previsão de conclusão em 2025.




Contato:


11937720104


146 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page